Terça-feira, 2 de Novembro de 2010

se há coisa que me mexe com os sistemas (simpático e parasimpático) é a visão codigo-barrista do mundo: tudo deve ser visto, analisado e compreendido a preto e branco. suspeito, até, que são visões moldadas pelo tempo em que a TV não tinha cores (nem mesmo o aparelho) e em que o telefone era de disco e invariavelmente a preto, ou branco. quem tivesse "cunha" lá conseguia um cinzento, mas mesmo assim não era muito comum.

irrita-me, por isso, aquela coisa do "ou é ou não é", do "mas vais ou ficas?" e mesmo do "masculino" ou "feminino". as coisas "podem ser", podemos escolher "ir indo", e no que diz respeito ao sexo as categorias já não são assim tão estanques. mas sigamos para o que interessa, que falar sobre sexo não fica bem num blog deste tipo...

 

uma das divisões mais grosseiramente erróneas que encontrei nestas coisas das redes e das identidades e isso é aquela trazida até nós pelo Sr. Prensky e onde se caracterizavam os indivíduos como sendo imigrantes ou nativos. não é bonita, não, mas pegou de estaca e agora até temos um programa da RTP2 (que parece ser bem interessante, por sinal) que se chama, precisamente... "Nativos Digitais". Tá mal. estamos a persistir numa linguagem que até o Sr. Prensky já não considera a mais correcta. Tá mal/2

foi por isso com grande alegria e até alguma satisfação que li, hoje, este texto onde se propõe uma nova visão da coisa: não mais imigrantes ou nativos, poderemos ser agora "visitantes ou residentes" (ok, ok, temos a e b de novo, mas o texto é interessante e dá a volta à coisa de uma maneira que chega a ser agradável)

 

eis o que diz o Sr. Dave White sobre os Residentes:

"The web supports the projection of their identity and facilitates relationships. These are people who have an persona online which they regularly maintain. This persona is normally primarily in a social networking sites but it is also likely to be in evidence in blogs or comments, via image sharing services etc  (...) they will also use the web to socialise and to express themselves. (...)They often use the web in all aspects of the of their lives; professionally, for study and for recreation. In fact the resident considers that a certain portion of their social life is lived out online. The web has become a crucial aspect of how they present themselves and how they remain part of networks of friends or colleagues."

 

sobre os visitantes refere que:

"The Visitor is an individual who uses the web as a tool in an organised manner whenever the need arises. (…)They are sceptical of services that offer them the ability to put their identity online as don’t feel the need to express themselves by participating in online culture in the same manner as a Resident. In effect the Resident has a presence online which they are constantly developing while the Visitor logs on, performs a specific task and then logs off."

 

Isto, do ponto de vista da gestão da identidade, é muito interessante. se complementarmos, ainda,  com os comentários de Bryony Taylor a este texto, poderemos chegar à conclusão (ou ao ponto de partida) de que todos temos em nós um visitante e um residente na medida em que esta metáfora "(...) shows that we all have different levels of engagement and expertise when it comes to using digital technology. "

é uma ideia fofinha, esta. não sermos julgados pela nossa idade nem pelo grau de geekyness de cada um. sermos, em diferentes ambientes, residentes ou visitantes.

 

mais do que saber que tecnologias usamos será, assim, importante saber quanto tempo/de que forma/em que contextos trabalhamos com elas. e, mesmo dentro de cada uma, saber estamos para ficar ou se estamos apenas de visita.

nem que seja através de uma visão codigo-barrista da coisa: entramos directamente no FB ou temos de fazer login? e na nossa página do twitter? e no nosso blog?

 

é que esta questão de ter o login gravado ou não (quando dá para o fazer) pode ser um pouco como fechar portas à chave: se vamos a determinado sítio com frequência, a porta fica apenas "no trinco". se só lá vamos ocasionalmente, aferrolhamos a porta de cada vez que saímos. 

e se pensam que não é bem assim, pensem então nisto: lá em casa, a porta da casa de banho está fechada ou apenas encostada?

 

a poisé, bebé...




6 comentários:
De carlossantos a 2 de Novembro de 2010 às 14:47
Podes ver o Dave White a apresentar essas ideias no vídeo "The Visitors and Residents Principle: A guide to assessing motivations towards the web".
Está disponível no canal da Universidade de Oxford no iTunes U: http://deimos3.apple.com/WebObjects/Core.woa/Feed/ox-ac-uk-public.1649235866.01650480667

(e parabéns pelo post!)


De carlossantos a 2 de Novembro de 2010 às 14:51
Esquece o link que já vi que está no post que mencionas no teu texto :)


De Olga a 3 de Novembro de 2010 às 00:09
Muito Bom!
Adorei a analogia com a porta da casa de banho!


De m-aresta a 3 de Novembro de 2010 às 10:15
Citando um grande amigo meu... anda uma pessoa a fazer comentários de 1ª água e tu prendes-te com detalhes destes...*sigh*

henceforth, this post shall be known as "o post da casa de banho"


De Olga a 3 de Novembro de 2010 às 23:06
independentemente dos pormenores.... quero é mesmo mandar um grande beijinho para ti, cheio de saudades!
Gosto tanto de te ler :D


De mlucas a 5 de Novembro de 2010 às 19:39
também adoro "ler" a Mónica. para além do humor inerente, estão ideias actuais, reflectidas e que nos fazem questionar.

lá em casa a porta da casa de banho fica quase sempre entreaberta.. e agora, em que ficamos ;)


Comentar post

Sobre mim
Agosto 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


Artigos recentes

Das férias

A vida à superfície

Saudades

Questão de investigação

Sobre o (meu) amor

Inquietudes

A história de dois Miguéi...

O que podemos aprender co...

Hoje que é dia do pai...

sobre aprender

Arquivo

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Março 2011

Janeiro 2011

Novembro 2010

Outubro 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Arquivado em

a idade pesa

a melhor coisa do mundo

acreditar

adeus :)

ambientes online

amigos

amor

ano novo

aprender

assim vale a pena

boyd

cetac

chuva

coisas minhas

coisas soltas

context

contexto

cv

d'a caixa

definir prioridades

dia do pai

domingo

doze

e andamos nós a criar uma filha para ist

ece1

ece11

educação

facebook

férias

festival da canção

futebol

gene kelly

homens da luta

identidade

identity

if/then

jonsi

leituras

livros

lurking

maio

mariana

metas

mmed

mundanças

música

networking

obvious

outono

palco

pele

percursos

phd

ple_sou

prensky

problemas

quarta-feira

quinta-feira

rede

reflexões

sapocampus

segunda-feira

servidor blogs.ca.ua.pt

sexta-feira

som

sono

sportv

stress deadlines going_nuts

tela em branco

televisão

tempo

terça-feira

tese

twitter

univercidade

todas as tags

links
participar

participe neste blog

find me on twitter:
http://qrcode.kaywa.com/img.php?s=6&d=http%3A%2F%2Ftwitter.com%2F%23%21%2Fmaresta
blogs SAPO
subscrever feeds