Sexta-feira, 19 de Fevereiro de 2010

Um dia irei ter apenas um endereço de e-mail. Um dia, usarei apenas um computador para trabalhar. Um dia não terei de pensar se sou yahoo, gmail, hotmail, ua ou afins.

 

Este "manifesto", à partida um pouco incompreensível, tem um fundamento lógico: tenho andado a ler a tese de doutoramento da senhora Boyd (Faceted Id/entity, 2002) :P.

Nesse extenso e interessantíssimo documento, Boyd reflecte sobre a questão da socialização, da importância do contexto, da auto-consciência, da gestão da identidade nas interacções sociais... e sobre a importância do utilizador ser "dono" da sua identidade na rede - perspectivas interessantes para quem anda a desenhar novos sistemas ;)

 

Boyd defende que a identidade do indivíduo não é, como outros autores afirmam, inerentemente fragmentada: diz, sim, que nos diversos ambientes sociais em que se move, o indivíduo gere as múltiplas facetas da sua identidade, ajustando-as ou moldando-as de acordo com o contexto.

Diz, ainda, que esta multiplicidade de facetas não indicia o colapso do indivíduo mas antes mostra o controle que este possui sobre a forma como se apresenta no dia-a-dia.

Contudo, em ambiente online, as coisas ficam mais delicadas: num universo em que os contextos se diluem e em que toda a informação e impressões sobre determinado indivíduo podem ser recuperadas com um simples search, a gestão e o controle da identidade tornam-se dimensões indispensáveis para o bem-estar do indivíduo e para o estabelecimento de interacções sociais, agora quase descontextualizadas.

 

Ainda de acordo com Boyd, um dos mecanismos de controle quase inconscientemente adoptados pelos utilizadores foi a criação de múltiplas contas de e-mail. Uma vez que a associação de dados e informação terá por base, na maior parte das vezes, a agregação por contas de e-mail ou nomes, os indivíduos criam contas associadas a contextos particulares (o exemplo mais óbvio será a separação entre o endereço de e-mail pessoal e profissional). 

Pela gestão destas múltiplas contas, voltam - de certa forma - a ganhar algum controle e privacidade, criando uma espécie de "localização virtual":

"By mantaining multiple accounts, users associate context locally. In other words, (...) one can mantain an accout that represents a specific face and present oneself throug that." (Boyd, 2002:42)


Não subscrevo inteiramente mas entendo e aceito esta perspectiva: se com a minha família sou a Quinha "boa onda" mas que vai dos zero aos cem em 4.3 segundos, no trabalho sou Mónica correcta e controlada.

Na rede, as coisas passa-se de forma idêntica: embora seja maresta para todos, o código é diferente de acordo com o interlocutor. 

Como me articulo entre ambientes demasiado formais e outros quase informais, uso diferentes contas para diferentes contextos. Isto permite-me fazer não apenas a gestão da identidade mas também a organização das mensagens e interacções (e evita andar sempre a reclamar por ter muitos e-mails para ler - dividir para conquistar, right?  :P)

 

Gostei de ler esta tese, confesso. Primeiro, porque fiquei mais descansada quanto ao potencial esquizofrénico da minha identidade. Depois, porque percebi ainda mais a lógica e a justificação por detrás de um projecto como o do SAPO CAmpus, que pretende integrar, numa única plataforma e com uma única "identidade", um conjunto de recursos sem os quais já não conseguimos passar.

 

Yep... one day, we all will stand together :) 


Arquivado em: ,


3 comentários:
De carlossantos a 9 de Março de 2010 às 10:48
Quando vamos ter a continuação deste excelente post? Estava interessado em ter acesso aos teus argumentos relativamente à afirmração"... porque percebi ainda mais a lógica e a justificação por detrás de um projecto como o do SAPO Campus"


De nsimaria a 19 de Outubro de 2010 às 19:37
E agora, com facebooks e afins, em que toda se juntam todos os nossos círculos numa só audiencia? Será que é agora que nos vamos tornar mesmo esquizofrénicos? Ou vamos encontrar o verdadeiro 'eu'? Adorei o post.


De m-aresta a 21 de Outubro de 2010 às 11:00
pah, não sei. já tremo quando os dois mundos (on e off-line) se misturam... como no belo dia em que, sendo eu moderadora de um fórum sobre o Harry Potter, tive de explicar a um colega um tópico que tinha criado.
anda uma tipa a por estas coisas em tuppewares separados e vem um fulano e mistura tudo. scary :S


Comentar post

Sobre mim
Agosto 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


Artigos recentes

Das férias

A vida à superfície

Saudades

Questão de investigação

Sobre o (meu) amor

Inquietudes

A história de dois Miguéi...

O que podemos aprender co...

Hoje que é dia do pai...

sobre aprender

Arquivo

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Março 2011

Janeiro 2011

Novembro 2010

Outubro 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Arquivado em

a idade pesa

a melhor coisa do mundo

acreditar

adeus :)

ambientes online

amigos

amor

ano novo

aprender

assim vale a pena

boyd

cetac

chuva

coisas minhas

coisas soltas

context

contexto

cv

d'a caixa

definir prioridades

dia do pai

domingo

doze

e andamos nós a criar uma filha para ist

ece1

ece11

educação

facebook

férias

festival da canção

futebol

gene kelly

homens da luta

identidade

identity

if/then

jonsi

leituras

livros

lurking

maio

mariana

metas

mmed

mundanças

música

networking

obvious

outono

palco

pele

percursos

phd

ple_sou

prensky

problemas

quarta-feira

quinta-feira

rede

reflexões

sapocampus

segunda-feira

servidor blogs.ca.ua.pt

sexta-feira

som

sono

sportv

stress deadlines going_nuts

tela em branco

televisão

tempo

terça-feira

tese

twitter

univercidade

todas as tags

links
participar

participe neste blog

find me on twitter:
http://qrcode.kaywa.com/img.php?s=6&d=http%3A%2F%2Ftwitter.com%2F%23%21%2Fmaresta
blogs SAPO
subscrever feeds